Esquecer álcool no carro, tem grande risco de combustão, alerta bombeiro

O álcool é amplamente usado em todos os tipos de produtos com exposição direta à pele humana (por exemplo, em alguns medicamentos e até mesmo como desinfetantes para as mãos em ambientes ocupacionais, cosméticos como spray para cabelo ou enxaguatório bucal, preparações farmacêuticas e muitos produtos de uso domésticos).

Após se fazer a aplicação regular de etanol na pele (por exemplo, na forma de desinfetantes para as mãos), podem ocorrer concentrações sanguíneas relativamente baixas, mas mensuráveis, de etanol e seu metabolito acetaldeído, no entanto, abaixo dos níveis tóxicos agudos. E podemos dizer que somente em crianças, especialmente através da pele lacerada, pode ocorrer toxicidade percutânea.

Muitos viés da indústria em muitos estudos sobre a segurança de aplicações tópicas de etanol, além de uma falta geral de pesquisas científicas sobre os efeitos a longo prazo, é necessário um estudo independente sobre esse tópico.

E sempre o foco da pesquisa deve ser o dos efeitos tóxicos crônicos do etanol e do acetaldeído no ponto de impacto, com atenção especial a crianças e indivíduos com deficiências genéticas no metabolismo do etanol.

Alguns estudos epidemiológicos sobre a ligação entre uso de enxaguatório bucal e risco de câncer bucal foram recentemente revisados ​​por La Vecchia. E dentre os 10 estudos de caso-controle publicados nas últimas três décadas, três deles relataram riscos relativos acima da unidade e sete nenhuma associação consistente.

E podemos falar ainda que em muitos casos, os desenhos do estudo foram falhos, pois não diferenciavam os enxaguatórios bucais que contêm e os que não contêm álcool.

Podemos te dar exemplo que é o estudo de caso-controle multicêntrico de Guha et al que indicaram o uso diário de enxaguatório bucal como causa de câncer de cabeça, pescoço e esôfago, no entanto, mas podemos falar que a associação permanece duvidosa porque o teor alcoólico e a duração do uso não foram registrados.

Orientação do uso no carro de álcool

Procuramos a orientação do sargento do corpo de bombeiros da cidade de Taquaritinga(SP), Ricardo Belutto, segundo ele, a principal fonte de limpeza das mãos tem que ser a água e sabão como meio de limpeza, ainda perguntamos, mas como fazer a limpeza quando vamos a rua, no supermercado, médico, etc… Já que no caso se deve carregá-lo consigo quando estiver em seu veiculo.

No Facebook uma pessoa fez uma postagem para alertar acidente ocorrido pelo fato do produto ficar exposto ao sol, e estar muito quente, você mesmo já deve ter percebido o quanto o carro fica quente quando colocado ao sol por muito tempo, e tentamos entrar no carro.

O sargento Ricardo ressaltou: Se esquecer álcool em gel no veiculo exposto ao sol por muito tempo, haverá grande risco de pegar fogo, por isso leve seu vidrinho de álcool em seu bolso, ou em sua mochila.

Covid-19, e a eficácia do álcool em gel no combate

Suas mãos são uma das principais rotas pelas quais os vírus passam das superfícies para o nosso sistema respiratório; ou seja, mantê-las limpas é uma das coisas mais eficazes que você pode fazer para evitar contrair o Coronavírus.

Lave sempre mãos com água e sabão sempre que possível e, se não conseguir chegar a uma pia, um desinfetante para as mãos à base de álcool em gel 70 %.

Alguns desinfetantes para as mãos com mais de 60% de álcool são mais eficazes para matar micróbios, mas procure não fazer seu próprio desinfetante em casa.

E sempre nas melhor das hipóteses, provavelmente será menos eficaz do que as versões compradas no mercado, na pior das hipóteses, você pode acabar danificando seriamente sua pele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coronavírus: saiba quais esportes podem ser praticados ao ar livre em tempos de pandemia

Quanto tempo o vírus da covid-19 vive sobre sapatos e roupas? Veja