Praticar exercícios pode diminuir risco de ser contaminado com coronavírus, veja

Ao se praticar exercícios físicos sempre se realizando de forma calma e regularmente, pode lhe causar uma boa ajuda no sistema imunológico e demais doenças da via respiratória.

A população dos países desenvolvidos e em desenvolvimento tornou-se menos ativa fisicamente, pode ser pela alteração no tipo de trabalho, seja pela adoção de novos hábitos atribuíveis, em parte, às mudanças nas exigências do trabalho e à adoção de novos hábitos.

Pessoas cada vez mais sedentárias: Essa alteração levou a notáveis ​​aumentos na incidência de doenças crônicas, como várias doenças cardiovasculares e até mesmo a diabetes tipo 2, aumento grande também da obesidade, distúrbios osteomusculares, as doenças pulmonares, certos tipos de câncer e vários distúrbios neurológicos.

E independentemente do estado de saúde, o sedentarismo também afeta a qualidade e a expectativa de vida dessas populações.

Exercícios e o sistema imunológico

Pode acreditar, as respostas que são promovidas pelo exercício, de forma aguda e até mesmo crônica, afetam muitos componentes do nosso sistema imunológico.

Praticar exercícios de intensidade moderada podem estimular parâmetros relacionados à imunidade celular, e podemos dizer diminuir o risco de infecção, enquanto exercícios de alta intensidade podem ainda promover uma diminuição desses mesmos parâmetros, aumentando o risco de doenças mais infecciosas.

Neutrófilos

São fagócitos que desempenham um papel importante na resposta imune inata, geralmente sendo o primeiro tipo de célula recrutado para o local da infecção, eles estão envolvidos em muitos dos processos inflamatórios, incluindo aqueles no tecido muscular, promovidos pelo exercício.

Essa sequência total de eventos que ocorre durante a resposta neutrofílica inclui adesão, quimiotaxia, fagocitose, explosão oxidativa, degranulação e eliminação do microrganismos.

Já no comportamento dos neutrófilos e na resposta imune ao exercício, os quais influenciam mediadores neuroendócrinos, e a liberação de esteróides, produção de citocinas e processos de oxi-redução associados à produção de radicais livres.

A ativação da fibra muscular aumenta a liberação de cálcio, levando à síntese de citocinas pró-inflamatórias, incluindo o fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) e IL-1β, que regulam a expressão de seleções pelas células endoteliais que atraem neutrófilos circulantes para a região.

,As citocinas. que são secretadas após dano tecidual, estimulam a via de sinalização que ativa a NADPH-oxidase, causando a liberação de espécies reativas de oxigênio.

Listamos alguns alimentos que ajudam o sistema imunológico

Sementes de girassol

Kiwi

Mamão

Abacaxi

Chá Verde

Açafrão

Amêndoas

Iogurte

Alho

Espinafre

Limão

Gengibre

Brócolis

Pimentão Vermelho

Frutas cítricas

O que falar sobre as academias

As academias costumam ser lugares cheios, onde todas as superfícies de pesos livres a controles em uma esteira são muito tocadas.

Ou seja, simplesmente limpar o suor com uma toalha não é suficiente para impedir que o coronavírus e outras bactérias se espalhem, se a academia não tem álcool, recomendamos levar uma pequena garrafinha de casa.

Recomendamos neste momento praticar exercícios ao ar livre, sempre tomando cuidados em não dar a mão a ninguém, e tentar correr fora de aglomerações.

Recomendação

Sempre lave as mãos com água e sabão totalmente entre os dedos, punho, e antebraço.

Quando for espirrar, tente no braço, e não nas mãos, isso evitará muito que se propague diversos vírus ao cumprimentar ou tocar outra pessoa.

Álcool gel também é indispensável, porém muitas pessoas já dizem que ele está muito caro na farmácia e supermercado.

Fonte: Jornal da USP (Universidade de São Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Médica mostra como identificar se sua imunidade está baixa e o que fazer para fortalecer

8 alimentos para aumentar a imunidade, veja!