in

Como correr ajuda uma pessoa ficar mais forte psicologicamente, veja!

Os exercícios de corrida geralmente não são violentos e podem acalmar o estresse de algumas maneiras diferentes. Sempre ao escolher percursos fáceis que você já correu ou voltas de teste solo sem a pressão da competição traz baixo estresse, e um bom desempenho é sempre recompensador.

E vale ressaltar que as corridas intensas também podem reduzir o estresse (em longo prazo). A pratica de corridas de alta velocidade com competição acirrada algumas vezes por semana podem treinar seu cérebro para diminuir a sinalização que causa aumentos grandes de adrenalina, suor e frequência cardíaca.

E sempre por sua vez, você será mais capaz de se controlar em outras situações estressantes do mundo real.

E sempre com tantos insumos atingindo você simultaneamente, cada treino de corrida exige foco total para chegar à linha de conclusão. Vale ressaltar que ao manter o foco durante uma longa corrida, ou série de corridas, pode ajudar a sua concentração no trabalho ou nas tarefas escolares.

Emagrecer

O exercício de corrida como envolve mover continuamente o peso de todo o corpo, ajuda na queima de mais calorias do que a maioria das outras atividades.

E você não precisa correr tão rápido para atingir o máximo de queima de gordura. Você obtém quase o mesmo com a lentidão (mas leva também o dobro do tempo).

Alzheimer

Saiba que esta é a área mais recente e inesperada de benefícios à saúde produzidos pela corrida, mas faz todo o sentido.

Correr sempre aumenta a sua frequência cardíaca e o fluxo sanguíneo. Isso também inclui sangue rico em oxigênio sendo empurrado para o cérebro. É difícil imaginar que isso não seria uma coisa muito boa.

E vale ressaltar como revelou uma meta-análise, que correr melhore a saúde do cérebro ao estimular a liberação de fator neurotrófico derivado do nosso cérebro. Essa boa roteína estimula o crescimento e a sobrevivência dos neurônios no cérebro.

Já em um outro estudo mostrou que um alto condicionamento físico melhora o volume cerebral total, incluindo até mesmo a massa cinzenta.

Mesmo se você não começar a correr até a meia-idade ou mais tarde, você ganha proteção contra os tipos de placas cerebrais ligadas ao declínio cognitivo e também de Alzheimer.

Depressão

Muitos atletas praticam o esporte para melhorar sim sua preparação física. E sempre depois de um curto período, esses novos corredores costumam dar uma resposta diferente à essa pergunta “Mas afinal, por que você corre?” pergunta.

E sempre sai essa resposta: “Porque me faz sentir melhor.” Eles estão falando sobre uma variação de emoções, humor, energia mental, menos dias tristes e coisas desse gênero.

Um estudo de 2015 sobre exercícios e depressão chegou a essas conclusões, entre outros resultados positivos:

– A pratica de exercício é um “tratamento eficaz” para a depressão;

– Sem dúvidas o exercício é tão eficaz quanto a psicoterapia e medicamentos prescritos;

– A corrida  “pode servir como uma alternativa” para tratamentos médicos caros e muitas vezes difíceis de encontrar / agendar.

E sempre vale a pena dizer que por mais positivas que pareçam essas evidências, isso não significa que você deva confiar apenas na corrida e em outros exercícios físicos ao lutar contra a depressão. A depressão é uma doença séria e generalizada e deve ser confrontada com uma gama completa de abordagens pelo seu profissional médico.

Articulações

Mas será verdade? Não deixe que essa baboseira “correr é difícil para as articulações” enganá-lo. “Há sempre muitos comentários ruins sobre os efeitos negativos da corrida de joelhos e em suas articulações do corpo, mas na verdade há uma prevalência menor de artrite de quadril e joelho entre atletas de maratona ativos”, diz um estudo elaborado pelo Of Bone.

 

6 receitas saudáveis de batidos de banana

4 exercícios de corpo completo com uma vassoura em casa